A medicina veterinária vem se especializando nos últimos anos, com isso ganham os pacientes caninos e felinos que contam com profissionais mais capacitados não só para melhorar como aumentar a expectativa de vida de nossos companheiros. Uma área que vem crescendo muito é a da cardiologia veterinária. Em média, 25% dos cães e gatos com mais de 9 anos apresentam algum tipo de cardiopatia e as cardiopatias congênitas representam 1% da clínica veterinária pediátrica. Os exames diagnósticos mais utilizados na cardiologia são: o eletrocardiograma, que nos dá informações sobre o ritmo cardíaco e a condição do miocárdio; a radiografia torácica que nos dá uma visão estrutural do coração e pulmões e a ecocardiografia com doppler, que mensura o tamanho das cavidades, velocidades de fluxos e pressões além da observação direta de vários defeitos anatômicos. Através dessas ferramentas podemos diagnosticar, tratar e monitorar as cardiopatias além de fornecer dados importantes na avaliação pré-cirúrgica para o procedimento anestésico.